Postado 21 maio 2013

Resenha: O Príncipe da Névoa

Por Regiane Cristina S.







Título: O Príncipe da Névoa
Autor: Carlos Ruiz Zafón
Nº de páginas: 184
Ano Edição: 2013
Editora: Suma de Letras







“ Estava pronta para correr escada abaixo quando, depois de sentir uma brisa gelada acariciar seu rosto e atravessar o quarto, viu a porta do quarto bater de um só golpe. Irina correu até lá e tentou girar a maçaneta, que parecia travada. Enquanto lutava em vão para abrir a porta, ouviu que, às suas costas, a chave da porta do armário girava lentamente e que aquelas vozes, que pareciam vindas das profundezas da casa, riam.  ” 

Eu sou suspeita para falar de Zafón, já que me encantei com seu trabalho desde que eu li A Sombra do Vento. Umas das coisas mais admiráveis, é que ele sempre acaba me surpreendo com cada uma das suas obras. Foi assim com O Jogo do Anjo, e também com O Príncipe da Névoa - mesmo esse sendo o seu 1º trabalho.

Exatamente no ano de 1943, a família de Max Carver muda para uma vila pequena e afastada que fica no litoral. Seu pai, um relojoeiro e inventor toma essa decisão para se manter afastado do tumulto da guerra. Só que uma coisa de que o garoto e nem o restante da sua família faziam ideia, é o fato de que a nova moradia estaria repleta de mistérios. Por conta da sua aguçada curiosidade, Max não demora muito em descobrir um jardim estranho e abandonado nos fundos da sua residência, com estátuas e símbolos que ele desconhece. A partir disso, uma série de coisas sinistras é iniciada.

Logo o garoto faz amizade com Roland, que lhe apresenta o vilarejo e lhe mostra o lugar onde fica os restos de um barco que naufragou há anos em uma forte tempestade, onde todos que estavam a bordo morreram, com exceção de um homem: um engenheiro que construiu o farol na praia.

Devido aos acontecimentos estranhos, Alicia, Max e Roland tentam investigar os mistérios a fim de descobrir a chave para tudo isso, mas nesse mesmo momento, um ser assustador, conhecido como Príncipe da Névoa entra em cena, e o mais macabro, é que ele é capaz de realizar qualquer desejo a qualquer pessoa, mas exigindo um pagamento muito alto.


Há tempos eu não lia um livro de suspense que fosse capaz de causar calafrios na espinha. Pode parecer loucura, mas eu estava com saudades de sentir medo com uma leitura, contanto, que não fosse nada que ultrapassasse meus limites - e apesar de isso não ter acontecido - eu sinceramente fiquei bem impressionada. Eu tenho sérios problemas com palhaços, tenho medo desde criança, e quando percebi que esse tipo de personagem fazia parte da história, eu gelei. Ainda mais que o palhaço citado aqui, faz jus a impressão que eles me passam: que por trás do sorriso, há um ar diabólico. 

“ Alicia começou a mastigar uma torrada mecanicamente, enquanto Max tentava tirar da cabeça a imagem daquela mão estendida e do olhar esbugalhado do palhaço que sorria em meio à névoa do jardim de estátuas.   

“ O palhaço abriu a bocarra pontilhada de presas longas e afiadas como facas de açougueiro e seus olhos cresceram até o tamanho de um pires de chá. Roland sentiu que o ar lhe faltava. ” 

Apesar do livro não ter nem 200 páginas, ele não deixou a desejar, pois prende a atenção logo no primeiro capítulo. Não poderia ser diferente, já que no quesito suspense e mistério, ele é surpreendente. O clima criado por Zafón em um vilarejo litorâneo, com direito a um farol, uma praia com restos de um barco naufragado e segredos que rodam uma velha casa, fizeram toda diferença. O cenário foi muito bem trabalhado e perfeitamente executado, o que me permitiu imaginar cada detalhe com muita precisão.


A narração em 3º pessoa me agradou muito, já que dá uma visão bem ampla dos acontecimentos. A escrita do autor segue com um toque poético, o que faz disso, sua marca registrada. Apesar de O Príncipe da Névoa não possuir a mesma maturidade de seus livros atuais,  seu estilo próprio permanece ali, inabalável.  O cuidado que Zafón tomou em relação aos elementos utilizados nessa obra, contribuiu em tornar a história mais assombrosa e intrigante. 


“ O relógio não estava desregulado; funcionava perfeitamente, mas com uma peculiaridade: andava para trás.  ” 

Esse é o típico livro que não dá a chance sequer para o leitor respirar. É um acontecimento surpreendente atrás do outro, que eleva a emoção ao ápice, fazendo os mistérios transbordarem por suas páginas. A leitura fluiu tão bem, que tive a impressão de o tempo nem ter passado. O romance contido aqui é tão leve, que quase passa despercebido, mas de qualquer forma, serviu para dar uma quebra na tensão presente na história. 

Gostei muito dos personagens, pois eles possuem personalidades demasiadamente interessantes. A única coisa que o autor pecou, foi em relação às características físicas, que foram descritas vagamente. A figura mais singular desse livro, sem sombra de dúvidas, é o próprio Príncipe Sombrio: um ser assustador, macabro e muito cruel. Ao mesmo tempo em que ele me causava pavor, também me despertava admiração. 

Afeiçoei-me muito a Max, pois ele se mostrou um garoto bem corajoso para a sua idade. Também fiquei comovida com seu altruísmo em nome da amizade e o seu zelo para com a família. Alicia de início aparentou ser insuportável, mas acabei gostando dela, conforme foi ganhando espaço. Só acho que ela deveria ter sido mais explorada, assim como a pequena Irina e os seus pais. Apesar de Roland ser bem presente na história, ele não me cativou tanto quanto Max. Já em relação ao seu avô, eu fiquei emocionada com o seu passado. 

É até injusto querer comparar O Príncipe da Névoa com A Sombra do Vento e outros livros mais recentes do autor. Apesar de não ter a mesma bagagem e amadurecimento do que eles, eu fiquei bem satisfeita com o resultado e totalmente ansiosa para ler os outros dois livros da série Névoa. Se você aprecia livros de suspense, com um clima assustador, com mistérios que não acabam mais, eu super recomendo!

24 comentários:

  1. Eu ganhei esses dias (em sorteio) e estou louca pra ler, não li nada dele ainda e teho lido maravilhas. Até comprei O JOGO DO ANJO tb, mesmo sem saber se vou gostar. rsrs

    ResponderExcluir
  2. Oi Rê!
    Gostei muito desse livro, mesmo sendo o 1º do Zafón, achei a escrita fascinante. Ainda não li A Sombra do Vento, mas quero muito.
    Eu também fiquei com medinho hahaha, não sou grande fã de palhaços.

    Beijos
    Livros e blablablá

    ResponderExcluir
  3. Oiii... adorei sua resenha!!! Adoro os livros do Carlos Ruiz Zafón, já li a Sombra do Vento e Marina, são ótimos! Ganhei o Príncipe da Névoa em uma promoção, mas ainda não chegou, depois da sua resenha, aguardo ansiosamente!!! Pelo jeito, não me decepcionarei!!! :)

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Amei a resenha, Regiane!! Estou louca para ter tudo de Zafón, e falando da década de 40 e de naufrágio é comigo mesmo! Adoro! A propósito, eu também tenho medo de palhaço desde criança!! Quero conseguir logo as obras dele! Beijos ps.: escrevi de novo porque errei na digitação.

    Letícia Valle
    @litteratura_m
    litteraturamundi.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Eu já sou o contrario. Nunca gostei dos livros dele e já criei um certo preconceito! Acho que não vou colocar esse na minha estante não! Mas valeu a dica! Bjs

    ResponderExcluir
  7. Quero tanto esse livro!! Mas acho que quero primeiro A Sombra do Vento hehehe. Do Zafón por enquanto só li Marina, e nem preciso dizer que me apaixonei pela narrativa. Pelo dom que ele teve de colocar um quê fantástico, suspense e drama de uma maneira tão bela, com um texto que beira o poético.
    Mal posso esperar para ler mais livros dele! Sabe que já li resenhas não tão positivas de O Príncipe da Névoa, e acho interessante conhecer vários pontos de vista. Acho que os livros mais "adultos" e recentes dele me agradarão mais, mas ainda assim quero ler todos.

    Bjinhos, Livro Lab

    ResponderExcluir
  8. Oie,
    nossa o livro parece ser bom mesmo, apesar de definitivamente não ser muito meu estilo de leitura.
    Nunca li nada do autor, então não posso opinar sobre a evolução dele nos livros.

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  9. Nunca li nada do Zafón mas estou com bastante vontade pois ouvi falar muito bem dos livros dele, principalmente de Marina.
    Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  10. Esse homem é tão elogiado, que estou me sentindo na obrigação de ler algo dele. Pensando seriamente em começar com Marin. :3

    ResponderExcluir
  11. Adoro livros que me fazem querer comer as páginas. Definitivamente não tenho paciência para livros que começam lentos, e quem sabe um dia irão acelerar. Nunca li nada do autor, mas a lista de leitura é tão grande que dá preguiça de acrescentar mais um livro. But who knows? haha

    ResponderExcluir
  12. Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom,
    li algumas coisas folhe-ei algumas postagens,
    gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha.
    Deixo-lhe a minha bênção.
    E que haja muita felicidade e saúde em sua vida e em toda a sua casa.
    PS. Se desejar seguir o meu blog,Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.

    ResponderExcluir
  13. Poxa, li a resenha e fiquei curioso pra ler os livros do autor, principalmente esse. :-D

    ResponderExcluir
  14. Nunca li nada do Zafón, estou louca para ler A Sombra do Vento, estão falando muito bem dele e do autor... tbm fiquei curiosa quanto esse livro. Gosto muito de livros de suspense, parece que nos prendem e não consigo parar até terminar a leitura :)

    ResponderExcluir
  15. Já li todos os livros do Záfon lançados no Brasil e adoro a escrita e o mistério que sempre há nas histórias dele.
    O meu chegou essa semana e reparei que é bem menor do que os outros do autor!
    Vou lê-lo sem as expectativas criadas pelos livros anteriores... mas Záfon é Záfon! ;)

    ResponderExcluir
  16. Faz tempo que quero ler algo do Zafón, mas ainda não tive a oportunidade. "Se você aprecia livros de suspense, com um clima assustador, com mistérios que não acabam mais, eu super recomendo!" - Então esse é pra mim mesmo, descreveu exatamente o tipo de livro que eu gosto, hehe. Mas acho que eu vou começar por um que não pertença a esse série, porque tem que acompanhar, daí primeiro tenho que ver se gosto mesmo do autor. Ótima resenha! =D

    ResponderExcluir
  17. Virei fã do Zafón com A sombra do vento, já vi que minha única solução é ler todos os livros dele! Depois de O prisioneiro do céu vou ler esse ai, ainda mais depois dessa sua resenha incrível! E o autor é tudo isso mesmo, um gênio, mestre com drama, suspense e principalmente terror!

    Garota das letras - http://garotadasletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Esse primeito livro da trilogia parecer ser eletrizante, cheio de mistério e suspense. Parece ser uma leitura rápida.
    Adoro livros de suspense e esse livro já está na minha lista desejados para leitura.
    Bjus

    ResponderExcluir
  19. Wow! Ansiosíssima pra ler! Cada vez que leio mais resenhas, aumenta mais minha lista de "livros que preciso urgentemente" haha!
    Adorei a história e a resenha claro, conseguiu deixar-me curiosa!
    Poderia visitar meu blog?
    http://vanille-vie.blogspot.com/
    Beijos!

    ResponderExcluir
  20. Queria ler os livros do Zafón, mas nunca compro! Estão nas minhas listas de compras há meses...
    Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  21. Nunca li nenhum livro do autor, mas sempre fui louca pelo livro A Sombra do Vento, infelizmente até hoje não tive a oportunidade de ler. Agora tenho mais um livro dele na minha lista de próximas leituras haha
    Adoro livros de suspense e esse me pareceu muito bom através da sua resenha, não tenho medo de palhaços então creio que vai ser mais tranquilo para mim rs
    Ótima resenha, me cativou bastante. *-*

    ResponderExcluir
  22. Great post and so interesting. Glad I stopped by, and continued good luck with the blog hop! Accounts Software For Small Business What a terrific sounding book - the water cycle is cool in and of itself and a book which teaches it in such a fun poetic way is mega-cool.

    ResponderExcluir
  23. Achei a resenha bem completa, parabéns! E concordo plenamente sobre o desenvolvimento dos personagens que deveria ter sido buscado melhor, fora as características físicas que foram pouco exploradas.
    Agora é muito gostoso de ler assim como os outros dele, né? Ele tem características bem marcantes desde de seu primeiro livro, isso é muito bom, não acha?
    A resenha foi ótima, parabéns.

    ResponderExcluir