Postado 12 março 2013

Cinema #09

Por Regiane Cristina S.

Olá pessoal!

Bem vindos a mais uma sessão Cinema. Hoje vou falar de um filme que assisti recentemente e que adorei.

Os Miseráveis (nome original: Les Misérables) é uma história que se passa na França na época da Revolução, no século XIX. Ao mesmo tempo gira em torno de Jean Valjean (Hugh Jackman), um ex-detento que havia sido condenado por ter roubado um pão para a irmã. Em liberdade, ele tentará recomeçar sua vida, mas o passado persistirá em assombrá-lo através do inspetor Javert (Russell Crowe). A trama também retrata a miséria acerca dos personagens Fantine (Anne Hathaway), Cossette (Amanda Seyfried), Marius  (Eddie Redmayne) e outros mais.


Direção: Tom Hooper
Gênero: Musical, Drama
Duração: 152 minutos
Distribuidora: Paramount Pictures
Lançamento: 2012


Sinopse: Adaptação de musical da Broadway, que por sua vez foi inspirado em clássica obra do escritor Victor Hugo. A história se passa em plena Revolução Francesa do século XIX. Jean Valjean (Hugh Jackman) rouba um pão para alimentar a irmã mais nova e acaba sendo preso por isso. Solto tempos depois, ele tentará recomeçar sua vida e se redimir. Ao mesmo tempo em que tenta fugir da perseguição do inspetor Javert (Russell Crowe).

Crítica:  Os Miseráveis é uma das obras literárias que mais estimo, e apesar de já ter recebido outras adaptações cinematográficas, a atual me deixou bastante ansiosa. Uma parte do elenco foi responsável por isso. De qualquer forma, não me canso de ver a história criada por Victor Hugo sendo retratada de diversas formas e por diferentes diretores.

O filme conseguiu captar a mensagem do livro, mas eu achei que a trajetória dos personagens principais aconteceu rápida e resumida demais. Desde a saída de Jean Valjean da prisão, quanto o drama de Fantine e a infância dura e cruel de Cosette nas mãos da  Sra. e do Sr. Thérnadier. Essa é uma das partes mais lindas e profundas da história, então era mais que necessário que tivesse um destaque maior.

Os cenários, figurinos e fotografia foram minuciosamente detalhados, resultando em  um trabalho impecável. A maquiagem é indescritível de tão perfeita. Não foi por menos que levou a estatueta no gênero. Beleza e emoção preenche todas as lacunas possíveis em Os Miseráveis

Os personagens são dignos para receber todos os aplausos possíveis. Fiquei deslumbrada e apaixonada pela interpretação majestosa de Anne Hathaway na pele da jovem Fantine. Não imaginava que ela chegaria tão longe ao incorporar um personagem. Ela amadureceu assustadoramente como atriz. Não que ela já não desempenhasse um bom trabalho, mas em Os Miseráveis, ela superou todas as minhas expectativas.  Fiquei de queixo caído nos poucos minutos que ela esteve em cena. Eu tive que me render as lágrimas que tanto insistiram em descer pelo meu rosto. Dessa forma cheguei a conclusão de que não teria nenhuma outra pessoa mais perfeita para interpretar Fantine. Esse papel estava destinado a Hathaway. Ela mereceu muito ganhar o prêmio do Oscar como melhor atriz coadjuvante. 

Hugh Jackman também me surpreendeu bastante como Jean Valjean. Quem diria que o ator conhecido por suas interpretações como o multante Wolverine, pudesse me fazer chorar incontrolavelmente. Ele conseguiu passar muita emoção em suas cenas, através de sua bela voz e de suas feições de puro sofrimento e lutas.  Samantha Barks no papel de  Éponine, em sua estreia no cinema também deu um show de interpretação, o que me causou muita admiração. Sei que ela já era cantora, mas até então, não tinha ideia que ela também possuía tanto talento como atriz. Já Amanda Seyfried, como Cosette.  Achei-a meio apagada.  Gostei muito mais dela em sua fase infantil, sendo interpretada por Isabelle AllenO seu romance com Marius (Eddie Redmayne) foi bem superficial. Bem diferente do livro. Tudo foi muito jogado às pressas, não fazendo jus à obra de Victor Hugo

Já Madame Thénardier  e Monsieur Thénardier, interpretados por Helena Bonham CarterSacha Baron Cohen, ganharam uma versão bem diferente da história original. De longe eles são os personagens mais cruéis, porém na adaptação, eles acabaram tornando-se o alívio cômico. Foi um pouco decepcionante para mim, mas até que é compreensivo, pois se mantivessem suas personalidades intactas, deixaria o filme demasiadamente tenso. Também achei que suas passagens pela trama, foram bem apressadas - o que é uma pena. Russell Crowe até que se esforçou ao vivenciar o inspetor Javert. Apesar de não cantar mal, infelizmente ele não conseguiu passar toda emoção necessária através da sua voz.

Fiquei deslumbrada pela coragem do diretor em ter feito as gravações das cenas com os atores cantando ao vivo, ao invés de gravar as músicas antes, para aplicar posteriormente em sua adaptação - como acontece com a maioria dos musicais. Sua fórmula ousada trouxe resultados bem positivos. 

A trilha sonora obviamente é a alma do filme, então não teria como ser desagradável, pelo contrário. Ela é grandiosa, e suas canções combinam perfeitamente com cada cena e momento. Me agradou tanto, que não resisti e comprei o álbum, assim que deixei o cinema. Não me canso de ouvir, além de me fazer reviver cada detalhe dessa bela adaptação. 

Confira uma prévia das músicas que fazem parte da trilha sonora de Os Miseráveis:


Sem sombra de dúvida, Os Miseráveis é um dos melhores musicais que já assisti. Um filme que me emocionou do começo ao fim, e que apesar de não ser sido perfeito como eu gostaria, ele me e tocou muito, só não mais do que o livro, que aliás, todos que apreciaram a obra de Victor Hugo nos cinemas, deveriam ler.  Se você é fã de histórias arrebatadoras, capazes de tocar no fundo da sua alma e fazer você suspirar até o último minuto, Os Miseráveis é mais que um filme recomendável.

 Trailer:

14 comentários:

  1. Não é tão surpreendente Hugh Jackman se sair ótimo no musical. Em Hollywood ele é conhecido por papéis de ação/aventura, mas na Austrália ele é famoso por produções teatrais e musicais.

    Eu sou suspeita para falar da Anne Hathaway porque eu detesto a atriz (sim, sei que estou sozinha no mundo). Achei Amanda Seyfried tbm meio apagada e amei Samantha Barks.

    ResponderExcluir
  2. Também acho que de todo o elenco o destaque vai para Hathaway e a Samantha. É incrível como ela me deixaram emocionado dentro do cinema.
    Concordo contigo no quesito tempo. Tudo passava muito rápido. Eu estava no cinema com alguns amigos que são meio desatentos e durante o filme eu tinha que ficar explicando essas assagens de tempo. Uh ó! KKKK
    Adorei sua crítica. Divido a mesma opinião com a senhorita!

    ResponderExcluir
  3. ai que lindo <3 me deu mais vontade de ver esse filme

    ResponderExcluir
  4. ai que lindo <3 me deu mais vontade de ver esse filme

    ResponderExcluir
  5. Sou apaixonado pela Anne Hathaway ela é muito talentosa, o livro é um clássico e o filme conseguiu ser mais um também. Um filme muito inusitado, os atores apenas cantam.Isso que é cinema, diferente e inovador... Com certeza os miseráveis é e será um dos meus filmes favoritos!!! :-)

    ResponderExcluir
  6. To louca para ver e agora fiquei mais ainda!!! <3

    ResponderExcluir
  7. Nunca vi o filme, vou procurar me atualizar mais!

    ResponderExcluir
  8. EU AMEEEEEEEEEEI FILME!!!! E a trilha sonora nãos ai da minha cabeeeeeçaaa!!! Os atores estão ótimos, o figurino o máximo e Anne Hathaway tá sensacional!!!!
    O post sobre o filme tá show! Parabéns!
    ^-^

    Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Estou ansiosa pra assistir a esse filme. Fiquei encantada com a apresentação do elenco no Oscar.

    ResponderExcluir
  10. Nunca esperei tanto por um filme. E com tanta apreensão.
    Já tinha visto o musical da Broadway e estava meio "por favor, que seja tão "omg this is the answer" quanto o musical POR FAVOOOR" e quando eu assisti eu fiquei com um vazio no peito.
    Mas não aquele tipo de vazio do tipo "esse filme foi tão bom que eu nem sei como vou viver depois disso"
    Foi aquele vazio de "é só isso? Não estou com nenhuma emoção especial no coração. ERA PRA EU ESTAR COM EMOÇÃO ESPECIAL NO CORAÇÃO!!"
    Assisti mais três vezes pra tirar conclusões definitivas:
    1-Filme muito bom. Eles fizeram o trabalho direitinho.
    2-Russell Crowe canta bem (mas Javert não deveria cantar. Javert é o ódio, o mal o CORAÇÃO GELADO).
    3-Galera da barricada foi a melhor coisa do filme todo (principalmente Grantaire e Enjolras).
    4-Melhor Gavroche já existente.
    5-O musical continua tendo versões melhores tirando ABC Cafe-red and black e One day more que, em minha opinião, SUPER HUMILHARAM A VERSÃO DA BROADWAY.
    7-Não curti Helena Bonham Carter e Sacha cohen no papel de Mme e Mr Thenardier.
    8-Por que eles esqueceram que Azelma EXISTE? E Mabeuf? (sem mencionar que EPONINE TINHA QUE REVELAR QUE GAVROCHE ERA SEU IRMÃO!!!!)
    9-"CONSTRUIR BARRICADA" É MINHA ALTERNATIVA PRA TUDO A PARTIR DE AGORA!
    Aos poucos consegui preencher o vazio do peito com emoção especial no coração e agora penso no filme com afeição e carinho.

    ResponderExcluir
  11. Estou super a fim de assistir e ler os miseráveis, as criticas foram muito boas

    ResponderExcluir
  12. Estou querendo tanto ver esse filme mas não chegou aqui na minha cidade aff ¬¬

    ResponderExcluir
  13. Gostei do filme, mas achei um pouco cansativo, a historia é muito boa, amei a interpretação do Hugh Jackman e da Anne Hathaway e da maravilhosa Helena Bonham Carter, e as musicas foram muito boas também, mas em alguns momentos tive a impressão que faltava algo.

    ResponderExcluir
  14. Como falei no seu outro post, Os Miseráveis é um filmão!

    ResponderExcluir